sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

terça-feira, 3 de novembro de 2009

This Days...

Há uma coisa que me mata todos os dias antes de me deitar. Um karma que me persegue. Um destino traçado desde o momento da minha concepção.
Um feitio de bradar aos céus, e uma melancólica vontade de chorar por tudo o que tenho perdido por ser assim.
Dos poucos que sabem o que valho, sabem que por eles tenho a maior estima e o maior apreço. Amo-os com uma paixão louca, adoro cada contorno do seu rosto, cada perfeição dos seus traços sublimes.
Mas algo fere os meus olhos.

Mais uma perda.
Desta vez não deixo recadinhos, e sonhos perdidos nas palavras que em sofrimento escrevi e enviei. Os ouvidos moucos de quem apenas quer ouvir o que é mais fácil de ouvir, hão de sangrar dor, quando de joelhos vierem suplicar misericórdia a quem os avisou. Passou o tempo.
Acabou a paciência enquanto tento não chorar.
Mais uma pessoa que passados todos estes anos, mostrou o seu verdadeiro valor. Mais uma.

O espaço por ti ocupado, vai dando lugar à dor da tua perda, mas virá o dia em que será ocupado por outro alguém. Não tenho nenhuma palavra para descrever o que conseguiste fazer-me. Já não vais muito a tempo de coser ferida nenhuma, mas podes tentar. Quando a dor também a ti te afectar, acredita que eu não estarei melhor que tu, mas quero crer que nessa altura o meu escudo contra ti já está bem firme. Tenho pena que optes pelo mais fácil.
Restam-me os meus três fiéis amigos, que assim os espero até ao resto da vida. Espero igualmente acrescentar-lhes mais alguns, que apareceram como o sol num dia de trovoada.
Não esperes que lute mais por ti, porque, sinceramente, se valesses apena, já o tinhas mostrado. Já tiveste o teu tempo. Decidiste o que é melhor para ti. Que assim sejas feliz. Mas lembra-te de JAMAIS contares comigo quando estiveres corroida de podridão e o teu coração imundo e sujo. Apoquentado com tanto pecado, e estrangulado de dor. Nesse momento, não vou ser eu a facilitar-te as coisas. Não vou ser eu a NADA. Porque "nada" foi a importância que me deste nos últimos tempo.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Como comer o namorado da sua melhor amiga em três passos, ou como perder a sua melhor amiga em 5 minutos


1) Ligue-lhe, e faça voz de deprimida e desolada, e sugira-lhe uma volta de bicicleta. Tente não se insinuar durante a chamada, pois terá oportunidade para o fazer durante o passeio. Aproveite então para lhe abrir caminho para algo que ele precise.

2) Arranje uma desculpa estúpida. Não importa de onde, mas arranje. Pode dizer que a sua avó morreu, que o seu gato se perdeu, ou mesmo que se sente sozinha. Convide o namorado da sua melhor amiga, que você acha um bonzalhão e que nem se importava de dar uma trincazinha, para lhe fazer companhia. Certifique-se que o faz quando a sua melhor amiga está impedida de se encontrar com ele (porque está de viagem, a estudar, a trabalhar, etc) e convide-o para se encontrar consigo depois da meia noite.

3) Aproveite a oportunidade de o namorado da sua melhor amiga ir morar para sua casa. Não lhe negue qualquer parte da casa, e facilite a passagem para as partes da casa mais importantes. Arranje outra desculpa sem nexo, e zangue-se de morte com a sua melhor amiga. Não lhe permita a entrada em sua casa, e, se por acaso a sua melhor amiga e o pedaço de carne que aí tem em casa, terminarem o namoro, muito melhor! E voilá!
No fim pode servir um jantar, ou mesmo uma noite de sexo bem escaldante...

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Eu Trajava...

Não houve um único dia que me sentisse mal ao trajar. Nenhum singelo e misero dia que simplesmente me apetecesse com toda a raiva e força despir aquele traje de luto.
Mas hoje, senti a dor de não poder ser o que aquele simples e honesto traje me deu. Senti a revolta de não poder estar à altura do traje que envergava, e não me contive. Aquele traje que me lembra bons e maus momentos, especialmente com amigos, com AQUELES amigos.
Aquela camisa branca, com cheirinho a lavado, a saia de forma pouco moderna, e o casaco humilde, que visto com orgulho sempre que posso. Hoje foi o dia em que chorei ao vesti-lo.
Enrolei-me na capa, deixei-a cair pelos ombros para demonstrar o meu luto, mas de pouco me serviu. Senti raiva por saber que as minhas memórias dentro daquele fato vão acabar em breve, e revolta por ser assim. O meu orgulho por aquelas peças de roupa, que tantas alegrias e sorrisos me deram em dois anos.
O sentimento de não ser nem mais nem menos que os outros, não ser melhor nem pior.
Acabou tudo hoje.
Receio que hoje tenha sido o dia em que o utilizei pela ultima vez, ou pelo contrário, o primeiro dia em que é apenas mais uma roupa no guarda-fatos.
Alguém acabou de matar o meu génio criativo. Também a minha pouca força de vontade e a minha alegria ingénua e espontânea. Que ele descansem em paz.

[sim, locus de controle externo... Que se dane! Não vou deixar de tentar ir-me embora, mas também já entendi as partes boas, posso entao chamar-lhe locus de controle interno??]

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Pura Felicidade

Querem tirar-te de mim.
Levar-me para longe, para onde não consigas visitar-me.
Querem levar o coração que me roubaste e que guardas com amor, mas vão arrancar-to das mãos sem que possas fazer nada.
Vamos antes fugir amor. Viver esta paixão como se de mais nada vivêssemos. Vamos ser felizes enquanto podemos ouvir cada silêncio de amor. Vamos correr e partir para o desconhecido, mergulhar na felicidade mais pura, e viver um sonho bem real.
Vamos! Vamos sorrir como se do ultimo, cada dia se tratasse.
Larga tudo. Trás apenas o essencial, o teu sorriso, os teus lábios, as tuas palavras doces, a tua protecção. E vamos morar bem longe, juntinhos e felizes. Com mais ou menos de um pouquinho de tudo, mas sempre contigo ao meu lado.
Agarra-me e abraça-me. Diz que me amas, de olhos fechados, enquanto me beijas.
Deixa-me dizer-te que me és tudo, mesmo que a vida não permita que o nosso sonho não seja tão perfeito como o que sonhamos. Mesmo que não corra como pensamos. Mesmo que não consigamos largar tudo, e viver juntos. Mesmo que este inferno dure apenas alguns dias ou mesmo que dure o resto da vida. Hás-de ser-me sempre o que foste desde o inicio. Hás-de ter sempre o que amo em ti. Hás-de conseguir aquele sorriso idiota, quando chego próxima de ti, sem, no entanto, notar que o esboço.
Mesmo que dure a vida inteira, tu, sem o meu coração por ti roubado, peço que na próxima vida, possas finalmente roubar-mo em paz. Sejas quem fores. Seja eu quem for. Seja lá quando for.
Peço só que, mesmo em alguma outra vida próxima, que me puxes pela mão, e que consigamos, finalmente ser plenamente felizes...

Amo-te Bruno Martinho

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Please don't stay in touch

Fuck you (Fuck you)
Fuck you very, very much
Cause we hate what you do
And we hate your whole crew
So please don't stay in touch

A sério...
Don't stay in touch!

Parece-me que este ano vai ser bem melhor! =D
Parabéns amor!!

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Memories

Bairro Alto,
numa noite qualquer perdida por Lisboa e pelo ano de 2008...
"Eu ouvi um passarinho, às 4 da madrugada..."
"... e a barragem do Alqueva, que nunca mais está pronta..."

Bateram-me agora as saudades ao ligar a televisão, e ouvir aquele sotaque tão arrastadamente alegre.
E vai um beijo para a "cantora"! =)

_______________________________________
Eu continuo a ser contra o Novo Acordo Ortográfico

sábado, 20 de junho de 2009

Campanha de Solidariedade "Troque o seu Ex-Melhor Amigo"

Esta campanha, que tem vindo a ser tão bem sucedida noutros países, chegou ao nosso pais, e pretende revolucionar o mundo dos Ex-Melhores Amigos! Se o teu Ex-BF te traiu, te espetou uma faquinha nas costas, se andou a dizer mal de ti, se te lixou a vida, se te fez trinta por uma linha e tu estiveste sempre ao lado dele, adere a esta causa. Não custa nada!
Só tens de pegar no teu, ou tua, Ex-BF e tentar troca-lo pelo maior número de coisas que te sejam necessárias. Podes começar por o tentar trocar por uma caneta, depois por uma mochila, um relógio, umas calças, uma t-shirt e umas calças, um carro, uma piscina, uma casa, uma festa de 20 completamente suportada por quem quiser ficar com o teu/tua Ex-BF, ou pedires tudo junto. No entanto, tens de ter em atenção que na troca não importa só o valor que vens a ganhar, mas importa igualmente a troca ser justa. Isto é, quanto maior fosse a importância que desses à vossa amizade, mais terá de ser o valor da troca. Se tivesses dado pouco valor a essa amizade, uma pastilha será suficiente para a troca.
Não deixes o teu Ex-BF sozinho, não deixes que ele aprenda e não se divirta a fazer a mesma coisa que te fez a ti! Dá-lhe uma "second chance", prova que ele é que perdeu uma EXCELENTE oportunidade de não ter feito merd*!

Aceitam-se amigos para troca!

/Troco ex-melhor amiga por telemóvel novo, com 3G! Não importa o peso, cor ou marca. De preferência da rede Vodafone. Mais informações, contactem-me! Troca segura! Não se vai arrepender!

_______________________________________
Eu continuo a ser contra o Novo Acordo Ortográfico

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Tudo

O problema de nos compararmos com outras pessoas é elevarmos demasiado a fasquia, e querermos ser iguais, e exigir que sejamos iguais, quando as pessoas são diferentes. Eu queria tudo, mas tenho-te a ti. Agora és o meu tudo, embora não sejas tudo o que eu queria que fosses, mas continuas a ser tudo. Tudo o que me resta, tudo o que quero, tudo o que me podes dar. Não tudo o que os outros dão.
Mas porque é que continuo a querer sempre mais do que tenho?
Acho que já não tenho mais idade para me alimentar só de sentimentos e esperanças vãs...


_______________________________________
Eu continuo a ser contra o Novo Acordo Ortográfico

terça-feira, 16 de junho de 2009

Amor


s. m., sentimento que predispõe a desejar o bem a alguém; sentimento de afecto ou extrema dedicação; apego; sentimento que os impele para o objecto dos nossos desejos; atracção; paixão; afecto; inclinação; relação amorosa; aventura; objecto da afeição; adoração; veneração; devoção; coloquial para uma pessoa muito simpática;

(Do lat. amóre-, «id.»)



Amor é uma palavra sem definição. Quantas vezes não é o sentimento que nos predispõe a desejar cobras e lagartos a alguém? Quantas vezes não suplicamos por menos dedicação, ou pelo menos por uma dedicação não tão extrema? Como pode ser esta a definição de amor de alguém?

Amor é mais que aventura. Amor é ter olhos e não ver, ter boca e não falar, ter ouvidos e não ouvir. É ter mãos e não tocar, é estar sozinho mas sentir, é ter dicionário, mas continuar a não ter palavras.

Uma inclinação. Uma queda para um abismo que não sabemos que fim terá. Uma queda de dias, meses, anos. Há quem se magoe, mas volte a inclinar-se demais e caia outra vez. Há quem tenha medo de cair outra vez, e não caia jamais. O mundo é feito de todas essas pessoas que caiem, umas melhores, outras piores.

O amor é aquilo que nos faz pensar o que nunca teríamos pensado se estivéssemos sozinhos. Faz-nos crescer e amadurecer. Faz-nos dar significado e conjugar o verbo viver no futuro. Faz-nos mudar de rumo, faz-nos ver noutra direcção. Faz-nos sentir especiais, e da-nos poder para tornarmos alguém especial.

É o sentimento mais contraditório, mas sofredor. Amar dá dores de costas, dá dores de cabeça. Oferece dores incalculáveis, mas torna-nos sempre mais fortes. Amor mata e sabe morrer, mas nasce e trás vida todos os dias. Trás luz, alegria e felicidade. Amor sente-se mas não se vê. amor ama-se e pronto.

Amor vai e vem.

Amor permite-nos sonhar, conseguir. Deixa-nos ser melhores a cada dia. Amor dá-nos razão, mesmo que não a tenhamos. Amor adoça-nos, deixa-nos quentes de frio. Frios de calor. Amor.

Amor é dar ouvidos ao absurdo e troca-lo por miúdos. Amor é ser dois mas querer ser um.

Amor é amar sozinho, acompanhado, nas rua, em casa, na praia, com os amigos, a família, o vizinho, os avós, os pais, o cão, as flores. Amar é vestido ou despido, verão ou inverno ou outono ou primavera. É Prada e Chineses. Amor é "viverão felizes para sempre" e "até que a morte vos separe". Amor é dois e três e quatro. Amor é comer Kebab com molho picante. Amor é de calças ou saia, depressa ou devagar, com café, a comer gelado ou a beber água. Amor é escrever sem pensar, falar com o coração, sentado, de pé ou deitado. Amor é a Ana Rute e o Nuno, o Joel e a Mariline, a Carolina e o Miguel. Amor é coisas, coisinhas, cenas e ceninhas. É centro, sul ou até norte! É esquerda e direita, ou os dois ao mesmo tempo! É sentir a tua mão doce nos meus cabelos, e a tua voz nos meus ouvidos. É pop, hip hop, dance, house, metal, trance, electro, fado, pimba. Amor é pimba e Pumba e Timon e Rei Leão e Pequena Sereia e Monstro e Bela e Buzz e Shrek e Fiona e Romeu e Julieta e Pedro e Inês. Amor é comédia, tragédia e acção.

Amor é a vida toda e mais alguns minutos. Amor é sermos agora o que queremos ser para sempre. Amor é... Amor é amor. Aquilo que nos torna diferentes e nos muda. Que nos torna iguais ao que achamos certo e que nos dá um rumo. Deixa-nos responsáveis e com mais juízo. Sim, é isto que eu espero. É isto que eu quero. Ser Feliz. Contigo. "E vou amar até que o meu coração me doa. E vou amar até que o meu coração se parta. E vou amar até que não haja mais razão para viver". Para Sempre. =))

domingo, 17 de maio de 2009

Gaivota

Eu sei que sou mais uma das milhares de pessoas que já se apaixonou por esta música.
Já a ouvi vezes sem conta, mas mesmo assim, não me canso de ouvi-la sempre mais uma vez.



Se uma gaivota viesse
trazer-me o céu de Lisboa
no desenho que fizesse,
nesse céu onde o olhar
é uma asa que não voa,
esmorece e cai no mar.

Que perfeito coração
no meu peito bateria,
meu amor na tua mão,
nessa mão onde cabia
perfeito o meu coração.

Se um português marinheiro,
dos sete mares andarilho,
fosse quem sabe o primeiro
a contar-me o que inventasse,
se um olhar de novo brilho
no meu olhar se enlaçasse.

Que perfeito coração
no meu peito bateria,
meu amor na tua mão,
nessa mão onde cabia
perfeito o meu coração.

Se ao dizer adeus à vida
as aves todas do céu,
me dessem na despedida
o teu olhar derradeiro,
esse olhar que era só teu,
amor que foste o primeiro.

Que perfeito coração
no meu peito morreria,
meu amor na tua mão,
nessa mão onde perfeito
bateu o meu coração.

Alexandre O'neill

PERFEITO
http://www.myspace.com/amaliahoje

domingo, 10 de maio de 2009

Tempestade

És o melhor amigo.
O meu melhor amigo.
Aquele que me apoia e ajuda. A quem devo tudo.
És aquela pessoa que não está sempre presente e que me deixa sozinha quando mais preciso. Que me magoa, e me pede gritos quando só preciso de silêncio. Que me larga quando preciso de um abraço, e que me julga com crueldade e se apercebe tarde demais que sou inocente.
És aquela pessoa especial que agarra com força a minha mão, todos os dias, e que a deixa deslizar de mansinho, quando prendo à tua mão, todos as minhas forças e a minha confiança.
Tens o dom de não conseguires entender quando estou bem ou estou mal, mas consegues por me mal em poucos segundos.
Sinto-me cada vez mais longe de ti, e é talvez isso que me leva a culpar-me de muitas das coisas que acontecem. Há coisas que eu não consigo mudar. Sou consequência de problemas que não se tornaram positivos e de esperanças que se afogaram.
Mas eu continuo a sonhar. É isso que me permite ter um sorriso todos os dias na cara. Era isso que eu era antes de ti. Uma sonhadora, mas num sonho diferente.
Não percebi ainda bem porquê, mas isto faz de ti o meu melhor amigo.


"Um dia sonhei ser escritora. Sonhei com pessoas boas e felizes. Sonhei com tudo ao mesmo tempo. Escrevi e fiz escrever. Escrevi e das minhas palavras nasceram acções boas, pessoas melhores, destinos felizes. Sonhei que tudo era perfeito!
Mas eu morri. Morri como morro todos os dias. Mas morrer, podia ter-me feito nascer outra vez, uma pessoa nova. Com outra vontade. Com outras pessoas."

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Pensamentos

Passei só para dizer que te amo.
Porque tens estado presente, mas é como se não estivesses.
Quando preciso de te ouvir, chateias-te e culpas-me.
Como se estivéssemos a ser separados aos poucos pela distância que sempre tentamos combater.
Deixa-mo-nos consumir pelo que nos perturba e nos afasta e não pelo que nos une.
Somos consumidos por emoções que nem sempre são verdade.
Acumulam-se os mal entendidos, e os entendidos pouco bem, no meio de palavras mal ditas ou mal explicadas na tentativa sempre de algo que apenas meio conseguimos.
Para no final termos dois dias de tréguas. Raio de vida esta.
Triste sina a minha.
Maldito karma.

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Coincidências

Nunca acreditei em alma gémea, mas sempre soube que as coincidências não são bem coincidências. Se alguém está em determinado sítio, a determinada hora, não é por mero acaso.
Quantas e quantas vezes estas pessoas se cruzam connosco e nem nos apercebemos porque estão lá, mas quando precisamos ou quando vemos melhor a situação, tudo faz sentido, tudo bate certo.
Mas hoje acredito.
Acredito em alma gémea.
Ainda mais em coincidências.
Realmente, cada um têm uma alma gémea, que sente, pensa e quase consegue viver o que estamos a viver!
Basta encontra-la...

domingo, 26 de abril de 2009

Amo-Te



Só pra dizer que te Amo,
Nem sempre encontro o melhor termo,
Nem sempre escolho o melhor modo.

Devia ser como no cinema,
A língua inglesa fica sempre bem
E nunca atraiçoa ninguém.

O teu mundo está tão perto do meu
E o que digo está tão longe,
Como o mar está do céu.

Só pra dizer que te Amo
Não sei porquê este embaraço
Que mais parece que só te estimo.

E até nos momentos em que digo que não quero
E o que sinto por ti são coisas confusas
E até parece que estou a mentir,
As palavras custam a sair,
Não digo o que estou a sentir,
Digo o contrário do que estou a sentir.

O teu mundo está tão perto do meu
E o que digo está tão longe,
Como o mar está do céu.

E é tão difícil dizer amor,
É bem melhor dizê-lo a cantar.
Por isso esta noite, fiz esta canção,
Para resolver o meu problema de expressão,
Pra ficar mais perto, bem mais de perto.
Ficar mais perto, bem mais de perto.

Não é exactamente isto que eu sinto, mas sinto que te amo. És tudo o que de melhor podia querer e de pior podia imaginar. Já perdi a conta às palavras que te deixei aqui, mas nenhuma delas, sei-o bem, consegue alguma vez descrever o que vêem os meus olhos quando te olham e o que o meu coração sente quando palpita mais depressa por estares ao pé de mim.

Amo-Te
*****

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Livro

Abri um livro no outro dia.
Já não me lembrava da sensação de abrir um livro à muito tempo.
Aquele misto de emoção e curiosidade, levaram-me a ler as primeiras páginas. Não era mau, e começava a ser algo interessante. Pelo conhecido título, apreciado por muitos, achei por bem ser mais uma a lê-lo, mas parei.
Parei nas primeiras páginas com medo do fim.
Medo da desilusão de mais um fim que me faz detestar mais um livro, e cada vez menos ter aquela vontade de me agarrar a cada um deles e poder ama-los tanto como a mim mesma.
Fechei-o no desespero de mais uma tentativa falhada, na esperança de um final feliz. De um final que me agrade. De um final que vá realmente ao encontro do que penso, espero, sinto e concordo.
Um final que me possa tornar a mesma pessoa, não de ontem, mas da semana passada. De à muito tempo atrás, mas que sabia mais que nunca o que estava certo. Que sabia fazer O certo.
Vou parar de escrever, e ler o que alguém outrora escreveu na tentativa sabe-se lá do quê.

Literal, ou não literalmente.

domingo, 19 de abril de 2009

Perdida, quase achada

Acho que deixei a minha esperança perder-se com os sonhos que cultivava desde à uns tempos para cá.
As pessoas não mudam, apenas se mostram como são. E é difícil viver na ansiedade de ser julgado a cada passo que se dá, na ansiedade de mais um pouco de amor e compreensão.
Sinto-me cada vez mais a fugir de mim mesma. Com medo de falar e olhar para as pessoas. Como se tivesse feito algo que fosse correcto. Quase consigo habituar-me a este eu, que não sou eu. A isto que está em mim.
Onde deixei o meu bocadinho de mim?
A minha estupidez, a minha vontade de gritar e dançar no meio a rua, de abraçar os meus amigos a todos os minutos e segundos, e dizer-lhes que os amo mais que a mim mesma, ao mesmo tempo que os encho de beijos?
Os cafés, as combinações, as festas, as saídas, a animação, o optimismo. Onde está isso tudo que eu sentia?
As trocas de olhares e trocas de silêncios. Trocas de experiências e trocas de algo mais. Trocas de amizade, e trocas de sorrisos. Será que também eu me deixei trocar pelo que sou agora?
Fico com medo de experimentar ser eu de novo outra vez. As pessoas olham, falam e comentam. Tenho que ser o que se pretende que eu seja. Bonita, simples, arrumada, organizada, ajuizada, simpática, sempre de sorriso nos lábios, com tempo para tudo, inteligente, boa ouvinte, confidente, confiante, sem medos nem receios, perspicaz, audaz e atenta. Submissa, cega, muda, surda.
O contrário do meu bocadinho perdido.
Apesar de não poder recupera-lo, ou não dever, ou não querer, sei exactamente onde deixei...

sábado, 18 de abril de 2009

Where you gonna sleep tonight?


amy macdonald - this is the life


Quantas e Quantas vezes não acordei já, exactamente com esta música descreve?
E a perguntar-me onde é que vou dormir, literalmente?

Estou cansada das quatro paredes de Lisboa. Mais que cansada...

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Coisas estranhas

No meio de estudos e trabalho, decidi descansar os olhos e acalmar a alma num dos blogs que sigo. Gosto de compreender a maneira como as pessoas vêem o mundo e as coisas, quando então me deparo com alguém que consegue criticar e conhece a razão sobre um dos maiores dilemas de uma rapariga. Contar-lhe ou não contar. Se nem nós próprias, nem as nossas amigas ou amigos conseguem chegar a um consenso, pois fomos educados de maneiras diferentes e a nossa percepção do mundo varia, como pode alguém, anonimamente, escondido atrás da cobardia e do medo, pode dizer-se dono e senhor da razão?
Lutar ou deixar-mo-nos embalar por um sentimento tão puro e bonito mas ao mesmo tempo tão negro e horrível, é como que andar numa montanha russa.
É bonito falar-se por fora quando falta a coragem e a sinceridade e uma amizade bonita começa a ser inundada de ciumes e orgulho.

Pelos vistos, o ex-melhor amigos, é um conceito que me liga a pessoas especiais. Talvez a substituição de um por outro, nos torne mais fortes e pessoas melhores, e mais aptas para aceitar e conviver com pessoas melhores. Com as melhores pessoas do mundo.
Porque os meus melhores amigos não impõem o que eu devo fazer, mas sugerem-no de tal maneira, que é impossível não terem razão e encontrar algum argumento que refute a sua posição. São estes os melhores amigos que eu escolhi. Os melhores dos melhores. *****

quinta-feira, 9 de abril de 2009

11 - Com Simplicidade

Convidaram-me a jantar no Eleven.
Sim, aquele restaurante que só determinadas carteiras conhecem.
Convidaram-me a ir lá como que numa troca de experiências e recompensa pelo trabalho. Trabalho, esforço e sucesso de quem conseguiu poder dizer "Sim, podemos ir jantar ao Eleven que eu pago".

Não foi isso que, no entanto me surpreendeu mais nessa noite.
Foi o rasgo de simplicidade, como que voltando ao inicio, àquilo que nós somos quando somos exactamente nós e não pretendemos nem fingimos ser mais ninguém. À nossa essência. Um gesto simples, num sitio simples. A ambição leva a cabeça das pessoas, mas por momentos, pode deixa-las exactamente onde estão.
No sitio onde sempre estiveram.
Não perdido, simplesmente achado, no momento correcto.
Há tanta coisa na vida que é coerente e que não nos deixa a pensar na sua beleza, e que a sua simplicidade esconde um brilho que encandeia.
Não foi o poder jantar num sitio caro, mas o jantar num sitio, nO Sitio que me fez ver que realmente as pessoas mudam. Mas só muda quem quer.
Porque prefiro comer num sitio especial e que me marque, que num sitio luxuoso e vazio de conteúdo, sentimentos, emoções.

Já dizia Miguel Torga "A vida é feita de nadas..."

quinta-feira, 26 de março de 2009

A Semana

Este post é para os que foram.

Fecha os olhos. Sente o cheiro a mar, e ouve as vozes que te rodeiam. Estas meio ensonado, e doí-te o corpo por causa da viagem longa. Um sentimento de enorme alegria começa a invadir-te e é impossível esconderes isso.
Dão-te uma pulseirinha rosa bem bonita, dentro do autocarro, no parque de terra.
Chegaste lá!
Entraste na melhor semana da tua vida. Na semana em que as palavras não existem para descrever o que vais sentir. O tempo vai passar rápido e nem vais dar por isso. Só no ultimo dia.
Mas o autocarro continua a andar. Vamos para o hotel. Aquilo. Aquela coisa. Esmeralda! Esperamos e finalmente conseguimos entrar nos quartos e arrumar as coisas. Depois, só um grande vazio. Perda da noção de tempo. Biliões de boas recordações invadem a tua cabeça sem que consigas ordena-las cronologicamente.
Os almoços quase no fim do tempo permitido, o bar aberto a partir das 4 da tarde, os passeios pelas ruas estreitas, a praia, as cores e a noite. Principalmente ela. As discotecas, o álcool, as pessoas, os amigos, os amigos próximos e aqueles que conhecemos bem melhor. A música, o som, a alegria, os sentimentos de felicidade e tudo o que de mais se possa imaginar. A menina que perdeu os sapatos pretos às bolas brancas nas escadas. As tentativas de entrar sem 18 anos. Tanta coisa. Hambúrgueres vegetarianos. A Maria dos Copos e o bar onde serviam shot's numa seringa!
Foi naquela semana. A semana.

Mas agora, acordas. Abres bem os olhos e estás longe de lá. Mas tu estiveste lá. Tu foste.
A viagem que deixou saudades. Lloret Del Mar.
A melhor semana da minha vida!

Dedicado a alguém que também foi. Que esteve lá. Que festejou os 18 anos lá, mas que hoje festeja, possivelmente cá, mas que com toda a certeza nunca vai esquecer aquela semana incrivel.
Dois anos depois as coisas mudaram muito, mas Lloret deixou saudades. Muitas.
Não me arrependo de nada que tenha feito lá. Foi a semana perfeita.
Finalistas 2006/2007...

segunda-feira, 16 de março de 2009

Procura-se


Procura-se casa para morar.
Procura-se vida para viver.
Procura-se paciência para esperar.
Procura-se força para enfrentar.
Procura-se lágrimas para não chorar.
Procura-se esperança para continuar.
Procura-se alguém que não se pode ser.
Procura-se alguém que não se pode ser mas que tem de se ser.
Procura-se cura para o medo.
Procura-se curso interessante e com emprego.
Procura-se calma.
Procura-se paz interior.
Procura-se alguém para matar a solidão.
Procura-se força para crescer.
Procura-se alguém que me proteja.
Procura-se vida nova.
Procura-se casa renovada.
Procura-se T1, T2 ou T3.
Procura-se T0 para viver com paz.
Procura-se T1 para viver contigo.
Procura-se silêncio.
Procura-se alguém, simplesmente.
Procura-se sorriso.
Procura-se optimismo.
Procuram-se energias positivas.
Procura-se uma escada, ou uma corda.
Procura-se nova habitação.
Procura-se felicidade.
Procura-se vela que torne desejos realidade.
Procura-se.

__________________________
Não ao Novo Acordo Ortográfico

domingo, 15 de março de 2009

Coisas


Não uma mas várias velas.
Para que a semana seja cheia de esperança. Para arranjar força para mais uma semana. Para matar as saudades. Para curar a dor.

Wendy, não é o que me falaste que me magoa. No entanto, todas as pessoas diferentes que conheci este ano, tornaram-se muito mais iguais. E melhores. Em todos os sentidos.

Amo-te. Não sei até quando, e não consigo dizer-te quanto. Mas és tudo o que no mundo pode haver de melhor e mais perfeito. És a imperfeição tornada perfeita com um sorriso nos lábios especial. És o raio de melhor coisa que alguma vez eu podia ter encontrado, com a porcaria de destino que eu tenho andado. Não sei porquê, nem a quem. Mas agradeço a difícil e árdua tarefa de não só amar, como proteger-te. És adorável. E és tudo o que nem num sonho se pode ter ou conseguir. És tão indescritível quanto todas as palavras existentes podem descrever. És o que és, e é isso que eu amo eu ti.
Amo-te!

quarta-feira, 11 de março de 2009

ponto



É incrível como as pessoas nos fazem sorrir quando mais precisamos, mesmo sem se aperceberem que era mesmo do sorriso que elas nos arrancaram que nos precisávamos para continuar em frente. Obrigado pelo sorriso a essas pessoas.
Fica outra vela. E mais outras hão de ficar, até que a minha esperança não se apague, perdida no meio da confusa escuridão.


__________________________
Não ao Novo Acordo Ortográfico

segunda-feira, 9 de março de 2009

Chuck Norris e LineAge II


  • Chuck Norris não faz doações, os servidores fazem doações a Chuck Norris para ele jogar!

  • Chuck Norris não dá pk (player kill). Os players é que dão pk a si mesmos quando vêem Chuck Norris.

  • Chuck Norris não faz log-in no server, o server faz log-in em Chuck Norris.

  • Chuck Norris já jogava LineAge II muito antes do jogo ser lançado. E em americano.

  • As personagens de LineAge são todos os Alter Egos de Chuck Norris. Quando Chuck Norris joga, não joga com todos num só. Joga com Chuck Norris

Que nunca te apagues



Dizem que a vela é símbolo de esperança.
Aqui está a minha vela.
Aqui deposito a minha esperança.
Que ela não se apague.


__________________________
Não ao Novo Acordo Ortográfico

domingo, 8 de março de 2009

Preto no Branco

A vida tem destas coisas. Dá voltas e voltas, mas voltamos sempre ao mesmo sitio.
Querendo ou não, somos obrigados a crescer no muito que nos dão e no pouco que sabemos utilizar. Com vários tipos de pessoas. Melhores, piores. Mas é por isso que somos como somos. Da convivência com pessoas que nos tramam e nos pregam armadilhas. Que nos deixam a ganir de dor e sofrimento. Mas é com a crueldade destas pessoas que nos tornamos fortes e nos fazemos em que somos agora. Fortes.
Com todos os esquecimentos, zangas, tentativas de zaragatas. Com pessoas hipócritas, falsas e traidoras, que todos os dias nos sorriem e nos matam pelas costas.
Mas isto fez-me como sou. Boa para uns. Horrível para outros.
Entendo que haja gente que não me suporte, mas tenho razões para agirem dessa maneira. Só faço feliz que merece, e já me deu provas suficientes de que merece o meu esforço.
Não preciso de referir nomes, mas os meus três Audis R8 ou mesmo a minha alface parva, podem constatar que tudo isto é verdade. Ou mesmo a pequena dos olhos verdes. Sem falar no melhor amigo ou mesmo NAQUELA pessoa.
A essas pessoas, que estiveram do meu lado, e que ainda estão quando eu mais preciso, mesmo que não se apercebam, a todas elas, o meu MUITO OBRIGADA por tentarem ser vocês mesmas e darem o que conseguem, seja muito ou pouco, mas que o dão com honestidade, sinceridade, com simplicidade. Sem ressentimentos para com alguma dessas pessoas, que embora não referidas aqui, sentem dentro do coração que também me refiro a elas.
Não é fácil conviver com alguém como eu, mas é mais que gratificante a recompensa que vocês me dão.
O universo merece-vos e vocês merecem tudo!
Amo-vos!
*****

___________________________________
Eu prometi que não citava nomes, mas estas pessoas merecem:
Ana Carolina
Ana Cláudia
Ana Rute
Ana Teresa
Bruno
Catarina
Joel
Jorge
Mariline
Nadine
Nadine
Pedro

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Hope... less

Os cabelos oleados
A pele suja
As unhas compridas e mal tratadas
Os olhos baços
O sorriso triste
O pensamento decadente
A roupa escura e desajeitada
A vontade de nada e ninguém
O tempo perdido e as sombras
O corpo sem força
A alma desaparecida
Os restos de coisa alguma que um dia quis ser alguém
O nó na garganta
As palavras mal escritas
O tremelique furioso que percorre as mãos
O nó cego vindo não sei bem de onde.

Não me sinto bem.
Não me sinto.
Quero mudar, mas não consigo.
Só queria poder ser alguém. Alguém decente. Alguém em quem se possa confiar e com quem se possa contar. Mas essa não sou eu. Eu não sou assim. A vida passa-me ao lado, sem que eu a consiga apanhar. Pequenos momentos de felicidade afogados numa inimaginável tristeza.
Viver contigo. Era só isso que eu queria.


There's no hope left...

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Obrigada

Sem quês nem porquês, agradeço-te a ti, que hoje me arrancaste um sorriso de entre as lágrimas. Que me deste força e me lembraste que contas comigo.
Obrigada por confiares em mim, mesmo tendo eu todos os meus defeitos e mesmo sendo um doce amargo.
Queria poder contar-te o que me perturba,o que me aflige e me aperta o coração. Mas já tens tu muito com que preocupar. Obrigada só pelo sorriso.
Só por isso.
E pela amizade. Que vale mais que muito para mim. =)
*****

__________________________
Não ao Novo Acordo Ortográfico

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Felicidade

Venho por este meio mostrar o meu enorme agrado pelo meu pouco ou mesmo nenhum esforço em manter a pessoa que muito amo e prezo na minha vida.
Mostrar toda a minha personalidade difícil e horrível de suportar e as minhas mimadas vontades de mostrar o que tenho para me sentir mais, maior e melhor.
Quero igualmente fazer-me de estúpida e ingénua e não partilhar a minha felicidade para com ninguém para que a única imagem que possa ser transmitida seja felicidade e fidelidade!

Só escrevi a ironia e a felicidade que neste momento cobre o sorriso pintado de doirado nos meus lábios. Cada um tem o que merece! Quem merece o sofrimento... Tem-o!
Quem merece que eu prescinda da minha felicidade a seu favor, merece-a porque a conquistou. E merece-a para sempre.
Quem merece a minha felicidade com a sua desgraça... Apenas fez por isso! E fez bem!

__________________________
Não ao Novo Acordo Ortográfico

sábado, 24 de janeiro de 2009

Tu

Beijaste-me e o tempo parou.
Curaste parcialmente a minha dor, mas nem por isso a levaste embora. Ela desapareceu sozinha.
Mas beijaste-me. Deste o que de melhor há em ti. A expressão máxima da tua beleza interior.
A tua simplicidade e a tua perfeição numa mistura refinada de um sabor inexplicavelmente agradável. Ou não fosses tu. Não fosse o teu beijo.
Não fosse a minha vida confundida com a tua, misturadas até ao mais ínfimo milímetro. Não fosse então o meu plano fugir daqui para longe com uma roupa velha na bagagem e tu pela minha mão. E talvez uma caneta e uns papeis.
Encostar a minha cabeça no teu peito e ser feliz o resto da vida.
Sim!
É isso que eu quero para mim. Para nós!
Porque eu não sou eu sem ti!
Sou o que sou, e fazes-me melhor do que sou a cada segundo.
Amar-te é um vicio.
Ainda bem!

[Post Scriptum - Politicamente correcto. Tenho saudades do meu melhor amigo!]
__________________________
Não ao Novo Acordo Ortográfico

Bem vindos!

Inspirada na mudança da Cláudia, e na expectativa de fazer algum diferente, aprendi algumas coisas.
Só o aspecto muda. As palavras hão-de ser as mesmas até ao fim. Até sempre.

Se acharem que é difícil de ler, ou seja o que for, é com gosto que volto a repor o blog como era ou... sei lá! Escrevam, transmitam ideias!

__________________________
Não ao Novo Acordo Ortográfico

sábado, 17 de janeiro de 2009

Desabafo

Não faço.
Não falo.
Não penso.
Não escolho.
Não sinto.
Não posso.
Não quero.
Não consigo.
Não devo.

Desapareço.
Desvaneço.
Desintegro-me.
Desespero.
Desinteresso-me.
Mágoa.
Dor.
Lágrimas.
Tentar e não conseguir.
Tentar com força.
Medo.
Raiva.
Injustiça.

"Vou bater-te como nunca na tua vida sentiste dor. Hás-de chorar mais do que no dia em que nasceste. Gritar mais que no primeiro momento em que a luz bateu nos teus olhos indignos dela. Hás-de aprender a respeitar o tempo e o amor. Vou desfazer-te tal e qual como me deixaste sem sequer me tocares. Vou esfolar-te e esbofetear-te. Vou rasgar-te a triste roupa para que sintas a vergonha que eu sinto por te ter amado tanto. Vou odiar-te como se odeia a morte. Vou matar-te como me fizeste morrer. Vou tirar-te tudo. Porque tu não mereces nada que não isto que te vou fazer. És horrível. Feia. És cruel. Vou vomitar o meu nojo por ti, a tua indecência, a tua traição e meu sentimento por ti, em cima de ti mesma. Vou fazer com que nem o próprio diabo te queira no inferno. Nem a vida consegue suportar-te, nem a morte tem coragem de te levar. Hei-de gritar até que as minhas cordas vocais rebentem, e hás-de ouvir-me até que os teus ouvidos fiquem surdos de dor e sangrem de culpa. Há-de pesar-te a culpa tanto, como a mim me pesa a dor."

Vou continuar a ver de longe. Cada vez mais de longe.
Vou apenas conseguir esquecer-te.

É apenas um desabafo em tempo de desespero.
Mas eu continuo a acreditar que este tempo há-de trazer bons frutos.
À parte de tudo isto, parece-me que dei um nó... Cego! Vai demorar a desatar...

__________________________
Não ao Novo Acordo Ortográfico

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Acredita!

Se acreditares, acredita em ti!
Acredita mais.
Mais alto.
Mais forte.
Mais vezes.
acredita com tudo o que tiveres.
Acredita as vezes que forem precisas e as que não forem.
Acredita à segunda feira, à terça, à quarta, à quinta, à sexta até mesmo ao sábado e ao domingo!
Acredita também quando estas a dormir!
Acredita quando mais ninguém acredita.
Acredita sozinho e acompanhado.
Por ti e pelos outros.
Acredita nos outros, mas principalmente em ti!
Acredita que fazes.
Que sabes.
Que consegues.
Que dominas.
Que és capaz.
Acredita nos tempos bons e nas épocas más, mas não deixes de acreditar!
Porque isso de acreditares em ti, compensa!
Acredita!!!

__________________________
Não ao Novo Acordo Ortográfico

domingo, 11 de janeiro de 2009

Eras...

Eras a minha maior esperança. O meu maior desejo. A minha vontade. A minha alma. A minha vida transformada em ti.
Quis-te tudo.
Quis que fosses sempre mais e melhor. Quis para ti a verdade.
Dei-te a minha verdade. O meu lado lunar. Os meus segredos. As minhas mágoas. As minhas raivas e tudo o que me atormentava o coração. Confiei-te tudo o que havia para confiar. Entreguei a minha vida nas tuas mãos. Tomei-te como maior.
Adorei-te com tudo o que era. Amei-te com tudo o que tinha. Venerei-te com todas as minhas forças. Consumias-me cada vez mais ao longo de cada dia que passava contigo.
Eras quem detinha a minha verdade. Eras-me! E eu amava-te como quem ama a vida.

Mas mataste-me.
Traíste-me.
Arrancaste e esquartejaste o meu coração como se de um brinquedo se tratasse. Com violência. Sem dó. Sem qualquer piedade!
Ouviste o grito de dor e sorriste.
Foste o horror e a morte. O desespero, a raiva.
Quis morrer. Quis morrer o mais depressa possível.
Depois quis acordar e acreditando que estava a sonhar.
Com todas as minhas forças quis magoar-te. Magoar-te lá bem no fundo. Como tu merecias. Mostrar-te a mentira que sempre foste e na miserável verdade em que te tornaste.
Mataste-me e nunca te arrependeste. Já não vais a tempo.
Agora és o negro e a sombra. És reflexo de tempos bons e de um corpo. Um morto. Podre. Feio, mas que em tempos foi perfeito. Estendido no chão, que tu, com todo o cuidado, cobriste de dourado e fizeste desaparecer.

Agora és apenas isso.
E nada.
Ninguém.

__________________________
Não ao Novo Acordo Ortográfico

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Sozinha

Já lá vão três dias, e eu continuo aqui. Sozinha.
Sozinha como quem quer libertar um sentimento que ama, ou reprimi-lo para evitar o sofrimento. São dias de frio. Não de chuva. Mas frio.
Sozinha, aqui sem ti. Porque eu não pertenço a mais ninguém que não a ti. Por mais que o mundo esboce sorrisos, que todos digam palavras doces e que muitos gestos possam acalmar a saudade que me vai cá dentro, tu não está comigo. Não posso olhar-te como te olho sempre. Não podes sorrir-me como sorris naqueles dias em que não há mais ninguém para além de mim e ti.
A vida tem destas coisas, mas quero que entendas que por mais palavras que diga, e mais erros que faça, a minha vida não é vida sem ti. Porque é o teu nome que grita todos os dias na minha cabeça quando acordo e a cama está vazia. Porque é o teu nome que o meu coração chama todos os dias quando me deito. Porque és tu que és o amigo mais especial e porque é em ti que está toda a minha esperança e toda a minha vida.

*** **

__________________________
Não ao Novo Acordo Ortográfico